Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio 93FM Ao Vivo

Assista a Rádio 93FM Ouça a Rádio 93FM

Ouça a Rádio 93FM



Assista a Rádio 93FM

Polícia apura desaparecimento de seis pessoas no norte e cumpre mandado em casa de delegado de Sinop

Entre as medidas cautelares foi dado cumprimento a um mandado judicial de busca e apreensão na residência de um Delegado de Polícia, no município de Sinop.

A Polícia Civil, por meio da Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), deflagrou nesta quinta-feira ( 27) a “Operação Insídia”, realizada no curso das investigações que apuram as circunstâncias do desaparecimento de seis pessoas no município de União do Sul, região norte de Mato Grosso.

Foram cumpridas diversas medidas cautelares de prisões e de buscas e apreensões em municípios da região norte do estado e em Tocantins. Até o momento, quatro pessoas foram presas, entre elas um empresário e produtor rural e três policiais militares da ativa.

Entre as medidas cautelares foi dado cumprimento a um mandado judicial de busca e apreensão na residência de um Delegado de Polícia, no município de Sinop.

Os PMS presos são: Dos Santos, Marçal e Cesaro. O produtor rural Agenor Vicente Pelissa e o delegado Douglas Turíbio.

As prisões temporárias foram decretadas pelo juízo da comarca local, com prazo de trinta dias, podendo ser prorrogadas por igual período.

Investigação 

As investigações apuram os fatos ocorridos no dia 18 de abril deste ano, em uma fazenda no município de União do Sul. Naquele local, foram encontrados diversos veículos com perfurações, estojos, munições, além de manchas de sangue e objetos pessoais, sem qualquer registro ou informação do que teria acontecido.

Após a realização de dezenas de diligências, perícias técnicas, buscas pelos corpos, oitivas de testemunhas e de pessoas envolvidas, as investigações apontaram para a execução de pelo menos seis pessoas, seguidas da ocultação dos respectivos cadáveres. Entre as vítimas está um funcionário da fazenda que trabalhava no local onde o fato ocorreu.

Além dos homicídios, são apurados outros possíveis crimes conexos, como cárcere privado, constituição de milícia privada, corrupção ativa e passiva.

As ações foram realizadas com apoio da Gerência de Operações Especiais (GOE), Corregedoria da Polícia Civil de Mato Grosso, Polícia Civil do Estado de Tocantins e Corregedoria da Polícia Militar de Mato Grosso. As investigações seguem em andamento. (Assessoria da PJC/MT)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. AceitoLeia Mais

Politica de Privacidade & Cookies
Open chat