Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio 93FM Ao Vivo

Ouça a Rádio 93FM

Ouça a Rádio 93FM

Veneno de Jararaca pode levar a amputação explica veterinário; saiba

0 14

Os ataques de cobras são mais comuns do que imaginamos e os com a Jararaca representam cerca de 88% de todos os casos registrados no Brasil.

Conforme o médico veterinário Kimber Siqueira, a espécie é a Bothrops, conhecida como Jararaca comum. Ele explica que ela faz parte do grupo das serpentes peçonhentas, ou seja, que utiliza da toxina, neste caso o veneno, para matar as suas presas. Além disso, o veterinário também assegura que esse tipo de cobra é natural das florestas e regiões de cerrado, porém podem sim serem vistas nas áreas urbanas, já que estão em busca de alimentos. “Elas acabam entrando nas casas, nos sítios, nas chácaras, em busca de alimentos. Elas se alimentam principalmente de roedores e aí acontecem os acidentes, pois as pessoas acabam esbarrando nesse tipo de bicho”.

A Jararaca tem hábitos noturos, então ela sai durante à noite para se alimentar. Kimber orienta que é necessário muita cautela, pois essa espécie de cobra consegue se camuflar muito bem. “Por ser um animal que possui um desenho nas suas escamas, uma cor esverdeada escura ela acaba se camuflando muito bem nas folhas. Por isso é importante manter nossos quintais limpos, pra evitar esse tipo de acidente”.

A toxina é bastante perigosa, tanto que no local onde ela pica, começa a inchar podendo causar hemorragia, necrose do membro infectado pelo veneno, que pode acarretar, em alguns casos a amputação e até a morte. “Primeiro de tudo é importante ficar calmo, lavar bem o local com água e sabão, nada de fazer cortes e tentar chupar o veneno. Isso é mito. Outra coisa que só piora a situação é fazer o torniquete. Isso só vai concentrar a toxina na região da picada e piora tudo”, complementa.

Além disso, a orientação, mesmo com o medo que ela causa, é não matá-la, já que as cobras são importantes para o meio ambiente, pois elas são responsáveis pelo controle de pragas e suas toxinas são utilizadas para a fabricação de medicamentos.

Nessa segunda-feira (5), uma Jararaca de aproximadamente 1,5 metros foi encontrada dentro de uma empresa em Sorriso. Felizmente nenhuma pessoa foi atacada. No mês passado um menino de 10 anos foi picado, também por uma Jararaca, na cama enquanto dormia, em Lucas do Rio Verde. Ele foi encaminhado pelos pais ao hospital e depois foi transferido para o hospital Regional de Sorriso para tomar o soro antiofídico.

Leia também: ESTOQUE DE SORO ANTIOFÍDICO EM MT É 70% ABAIXO DO NECESSÁRIO

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Politica de Privacidade & Cookies
Seja bem vindo!
Powered by 93FM