Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio 93FM Ao Vivo

Ouça a Rádio 93FM

Ouça a Rádio 93FM

Prefeita cancela contrato e multa em quase R$ 2 milhões empresa que faria rodoviária; entenda

0 21

A prefeita Rosana Martinelli (PR) extingiu o contrato de concessão número 063/2016 e estabeleceu multa de R$ 1.8 milhões ao Grupo JVF LTDA SPE, vencedor do processo licitatório para construção da nova rodoviária de Sinop. O grupo também fica impedido de licitar e contratar com a Prefeitura de Sinop pelo período de cinco anos. As decisões constam em âmbito do Despacho 008/2019.

A empresa tem prazo de dez dias para recorrer da decisão proferida, contados a partir da notificação. “As empresas são responsáveis sobre os compromissos que assumem com a Prefeitura Municipal e devem cumprir com o que está no contrato. Caso contrário, serão penalizadas conforme determina a lei [Lei 10.520 de 17 de julho de 2002 e a Lei 8.666 de 21 de junho de 1993]”, diz Rosana Martinelli.

Leia também: COMISSÃO DA RODOVIÁRIA CONCLUI TRABALHOS E PEDE RESCISÃO DO CONTRATO DE CONCESSÃO

De acordo com o projeto apresentado pela empresa à Prefeitura de Sinop, a nova  rodoviária contaria com 25 mil metros quadrados a serem construídos em área localizada no cruzamento das Avenidas dos Jacarandás com Avenida das Palmeiras, compreendendo, além do terminal de embarque/desembarque, um complexo de loja situado em dois pavimentos. A previsão de construção para a rodoviária era de 12 meses e para as demais áreas do complexo (shopping), 24 meses.

O contrato de concessão foi assinado em 2016 e a empresa teria que entregar a rodoviária pronta em outubro de 2017. “O fato é que a empresa não foi cumprindo os prazos e a Prefeitura é obrigada a cumprir as cláusulas da concessão”, acrescentou Martinelli. Conforme frisa a gestora, a decisão em estabelecer multa e extinguir o contrato não significa uma consequente e imediata realização de novo processo licitatório, pois o direito de recorrer da decisão é assegurado à empresa. “Acreditamos que a empresa vá se defender e vamos estar no aguardo. Agora, precisamos concluir esse processo. Não estamos falando que iremos abrir uma nova concessão agora e nem quando, pois precisamos concluir esse processo para, posteriormente, tomarmos uma decisão de como será feito. Essa é a primeira etapa que a Prefeitura tomou a atitude, diante de a empresa não ter obedecido as cláusulas contratuais, a partir do momento que assinou o contrato de concessão”, finalizou Rosana Martinelli. (Com assessoria)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Politica de Privacidade & Cookies