Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio 93FM Ao Vivo

Ouça a Rádio 93FM

Ouça a Rádio 93FM

Ministério reduz 92% de doses e vacinação da BCG passa a ser em 2 UBS’s e apenas 1 dia da semana

0 39

O baixo estoque de vacinas e até a falta delas é motivo de preocupação de vários municípios mato-grossenses. Em Sinop, maior cidade da região norte, o estoque da BCG havia acabado, entretanto algumas doses foram encaminhadas para a secretaria municipal de saúde e uma alternativa adotada pela pasta foi a reorganização das vacinações.

Atualmente a vacinação específica da BCG é feita em apenas duas Unidades Básicas de Saúde (UBS), sendo elas a do Jardim Botânico e a do Palmeiras, porém elas ocorrem apenas em um dia e período da semana, neste sentido nas quartas-feiras à tarde.

A coordenadora de imunização de Sinop, Sirlei Castilho, explica que o abastecimento dessa vacina é de total responsabilidade do Ministério da Saúde. “A gente pede para que a população nos ajude, entre em contato com o Ministério da Saúde, faça as reclamações para poder ajudar neste problema. A gente depende 100% que o Ministério envie”, explica.

Por mês, deveriam ser encaminhadas à Sinop 4.600 doses da BCG, contudo, em agosto, o Ministério da Sáude mandou apenas 360, ou seja, 8% do necessário. O envio da Pentavalente também foi de apenas 40%, chegaram 360 quando deveriam vir 900 doses. Já doses da DTP não foi enviada nenhuma. “É preocupante, pois é única forma que a criança tem de estar imuni à algumas doenças é tomar essas vacinas”, assegura Sirlei.

Outras vacinas também estão com estoque baixo, como por exemplo a DTP (Difteria, Tétano, Pertussis (coqueluche), Pentavalente, Poliomielite e Meningo C.

Em Sinop não haverá o dia ‘D” de vacinação antirrábica, devido também a falta das vacinas.

Outras cidades
Mas essa situação não acontece apenas e Sinop, em Lucas do Rio Verde a população também sofre com o baixo estoque. A secretaria de Saúde de Lucas recebeu as seguintes porcentagens: BCG 8%, Febre Amarela 76%, Antirrabica 73%, Dupla Adulto 69%, Meningo C 94%, VOP 50%, Penta 40%, Pneumo 10 88% e Tetra viral 96%. Lá a campanha do dia “D” anti-rábica só se manterá porque foram emprestadas doses da cidade de Várzea Grande.

A prefeitura de Cuiabá comunicou nessa quarta-feira (28), que a vacina pentavalente está em falta em algumas unidades básicas de saúde devido à falta de repasses de doses por parte do Ministério da Saúde.

Outro lado
A Rádio 93 FM entrou em contato com o Ministério da Saúde, para ter uma resposta sobre o problema, entretanto até a publicação desta matéria não obteve retorno.

Para o site G1 Mato Grosso, o Ministério informou, por meio de nota, que a falta da vacina se deu porque 3,2 milhões de doses da pentavalente, produzidas pela empresa indiana Biological, foram interditadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária neste mês de agosto.

Segundo o órgão, o laboratório teria descumprido requisitos de qualidade e isso culminou na solicitação de recolhimento e substituição das vacinas por parte da Organização Pan-Americana de Saúde.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Politica de Privacidade & Cookies