Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio 93FM Ao Vivo

Ouça a Rádio 93FM

Ouça a Rádio 93FM

Governador aceita desafio de Bolsonaro e diz que retira ICMS do combustível se União quitar dívida do Fex e Lei Kandir

0 27

O governador Mauro Mendes (DEM) afirmou que Mato Grosso aceita o desafio de reduzir o ICMS dos combustíveis. Entretanto, condiciona a medida ao pagamento do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX) de 2018 e 2019 e todas as perdas do Estado ocasionadas pela Lei Kandir.

O FEX referente a 2018 e 2019 chega a quase R$ 1 bilhão. Segundo a secretaria estadual de Fazenda (Sefaz), em 20 anos, Mato Grosso deixou de arrecadar R$ 39,4 bilhões com a Lei Kandir, que desonera as exportações.

O desafio de reduzir o ICMS dos combustíveis foi feito pelo presidente da República Jair Bolsonaro, que prometeu zerar os impostos federais, caso os governadores façam o mesmo nos Estados. No entanto, Mauro classificou a proposta de Bolsonaro como impraticável.

O governador argumentou que o ICMS dos combustíveis representa 25% da receita própria de Mato Grosso, o que é a média dos Estados. Além disso, Mauro lembrou  que PIS e o Cofins são apenas 2% dos impostos arrecadados pela União.

“A  proposta do presidente Jair Bolsonaro é muito boa de ouvir, mas na prática é impossível de ser implementada. O ICMS dos combustíveis representa 25% da nossa receita própria. O PIS,  Confins e Cide representam 2% da receita do Governo Federal. Quando ele propõe aos Estados, corta 25% que eu corto 2%, me permitam a brincadeira, é como chegar para você e dizer: corta sua perna que eu corto o meu dedinho”, declarou Mauro, durante visita a Assembleia, na quinta (06) passada.

Até hoje (10) à tarde, Mauro estava entre os 22 governadores que rejeitaram reduzir o ICMS dos combustíveis. Apenas cinco haviam aceitado a proposta de Bolsonaro. São eles: o governador do Acre, Gladson Cameli (PP); o governador do Piauí, Wellington Dias (PT); o governador de Goiás, Ronaldo Caidado (DEM); o governador de Minas Gerais Romeu Zema (Novo); e o governador de Rondonia, Marcos Rocha (PSL).

Além disso, a proposta de reduzir o ICMS do óleo diesel foi proposta de campanha de Mauro em 2018. Na campanha, o democrata divulgou peças publicitárias dizendo que a redução aumentaria o consumo e reduziria a sonegação, fazendo crescer a arrecadação do Estado. (Do RD News)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Politica de Privacidade & Cookies