Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio 93FM Ao Vivo

Assista a Rádio 93FM Ouça a Rádio 93FM

Ouça a Rádio 93FM



Assista a Rádio 93FM

“Fura-filas” da vacina podem pegar até 6 anos de prisão

As investigações iniciaram após a Polícia Civil requisitar dados de outros órgãos públicos e passar a receber denúncias e informações enviadas pela Secretaria Municipal de Saúde. Veja mais...

Treze procedimentos investigatórios para apurar supostas irregularidades denunciadas na vacinação da covid-19 foram instaurados pela Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon). As investigações têm o objetivo de apurar possíveis situações de ‘fura-fila’ na ordem estabelecida para a vacinação.

As investigações iniciaram após a Polícia Civil requisitar dados de outros órgãos públicos e passar a receber denúncias e informações enviadas pela Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura de Cuiabá e pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE).

De acordo com o delegado da Decon, Rogério Ferreira, na lista das possíveis irregularidades denunciadas estão o cadastro em grupos prioritários de pessoas que não estavam incluídas neles; a presença em lista de unidades de saúde de pessoas que não são profissionais da área; e até a suspeita da utilização de dados de pessoas falecidas para o cadastro em grupo prioritário.

A Polícia Civil destaca que a Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá tem denunciado todos os casos suspeitos e vem prestando todo o apoio necessário às investigações da Decon.

“Se as denúncias forem confirmadas, os suspeitos podem responder por crime contra a saúde pública com pena de até um ano de prisão, além de crimes contra a fé pública, como falsidade ideológica ou o uso de documento falso, com penas que podem chegar aos seis anos de prisão”, pontuou o delegado.

Rogério Ferreira lembra ainda que com a abertura da vacinação contra o coronavírus para pessoas com menos de 60 anos de idade e que tenham os problemas de saúde especificados pelo Poder Público, aumenta a possibilidade da apresentação de atestados ou outros documentos falsos por pessoas saudáveis que queiram furar a fila da vacinação, e profissionais da saúde que fornecerem atestados falsos podem responder por crime contra a fé pública com pena de até um ano de prisão.

(Com Gazeta Digital)

Quer receber as notícias em primeira mão? Acesse e entre no Grupo de Notícias da 93FM, e saiba tudo que acontece no estado, em real time. 

Grupo de WhatsApp 93FM 

 

Grupo do Telegram 93FM

 

Leia também –

Sinop Iniciará Vacinação Contra A Covid-19 De Pessoas Com Comorbidades

Vacina: 17.550 Doses Da Pifzer Chegam A Mato Grosso Nesta Terça

Mais 5 Escolas Da Rede Municipal Retomam Aulas Presenciais Nesta Segunda

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. AceitoLeia Mais

Politica de Privacidade & Cookies