Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio 93FM Ao Vivo

Assista a Rádio 93FM Ouça a Rádio 93FM

Ouça a Rádio 93FM



Assista a Rádio 93FM

Fronteira entre MT e Bolívia é fechada para evitar propagação do Coronavírus com entrada de estrangeiros

Cidadãos argentinos, bolivianos, paraguiaios, e também da Colômbia, República Francesa, Peru, Suriname e Guiana, estão proibidos de entrar no território brasileiro neste período específico.

0 95

Para evitar a propagação do coronavírus, o Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron-MT), vai reforçar a atuação policial em toda a faixa que liga o Brasil, mais especificamente Mato Grosso, com a Bolívia. A entrada de estrangeiros em Mato Grosso será restringida.

As barreiras serão volantes nos postos de fiscalização, com empenho da tropa do grupamento da Polícia Militar e vigilância contínua. A intensificação das ações atende à Portaria 125, de 19 de março deste ano, do Governo Federal.

O prazo previsto na medida restritiva é em caráter excepcional de 15 dias, podendo ser prorrogado, de acordo com a necessidade. Cidadãos argentinos, bolivianos, paraguiaios, e também da Colômbia, República Francesa, Peru, Suriname e Guiana, estão proibidos de entrar no território brasileiro neste período específico.

O trabalho será desenvolvido dentro “Operação Hórus”, do Programa Vigia, do Ministério da Justiça e Segurança Pública. De acordo com o Ten. Cel. da Polícia Militar, Fábio Ricas, o efetivo de policiais será aumentado.

“Vamos aumentar nosso efetivo de policiais atuando na fronteira para cumprir a determinação do Governo Federal. Já desempenhamos um trabalho periódico de enfrentamento aos crimes transfronteiriços e agora vamos intensificar ainda mais”, afirma o comandante do Gefron.

A base operacional do grupamento fica no município Porto Esperidião. Outros pontos de fiscalização estão distribuídos na região do Matão (no município de Pontes e Lacerda), Vila Cardoso, Avião Caído (em Cáceres), Canil Integrado (Cáceres).

A portaria traz algumas exceções. Fica autorizada a entrada de brasileiro, nato ou naturalizado, imigrante com prévia autorização de residência definitiva em território brasileiro, profissional estrangeiro em missão a serviço de organismo internacional, desde que devidamente identificado, funcionário estrangeiro acreditado junto ao Governo brasileiro.

A restrição de que trata esta portaria não impede o livre tráfego do transporte rodoviário de cargas, na forma da legislação vigente, a execução de ações humanitárias transfronteiriças previamente autorizada pelas autoridades sanitárias locais, o tráfego de residentes de cidades gêmeas com linha de fronteira exclusivamente terrestre.

O descumprimento das medidas disciplinadas nesta portaria implicará em responsabilização civil, administrativa e penal do agente infrator, a deportação imediata e a inabilitação de pedido de refúgio. (Com assessoria)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Politica de Privacidade & Cookies