Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio PRIME FM Ao Vivo

Assista a Prime FMOuça a Prime FM

Ouça a Rádio 93FM



Assista a Rádio 93FM

Para evitar riscos, barragens em Mato Grosso devem ser extintas

Duas barragens de Mato Grosso deverão ser extintas nos próximos dois anos, em razão dos altos riscos que apresentam para a população. A resolução foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda (18), conforme recomendação da Agência Nacional de Mineração (ANM).

De acordo com a publicação, deverão ser extintas as barragens consideradas do tipo “alteamento a montante” ou consideradas de método desconhecido, semelhante à estrutura que rompeu em Brumadinho, em janeiro, e deixou mais de 160 mortos e 140 desaparecidos.

As barragens “a montante” são aquelas nas quais há diques de contenção que se apoiam nos próprios rejeitos ou sedimentos previamente lançados e depositados.

Conforme o decreto, em três meses a ANM vai avaliar a execução de medidas regulatórias cautelares referentes ao assunto, para analisar as adequações cabíveis, “considerando, dentre outras informações e dados, as contribuições e sugestões apresentadas na consulta pública.”

Em Mato Grosso há duas barragens que recebem tal classificação. Uma delas é a B5, pertencente à Mineração Apoena S.A., em Nova Lacerda(a 667 km de Cuiabá). Ela é considerada de risco médio, porém o dano potencial, em caso de rompimento, é considerado alto – ou seja, há risco de rompimento, que ocasionará ameaça a vidas e prejuízos econômicos e ambientais.  

A outra barragem mato-grossense é a BR Santa Felicidade, pertencente a Filadelfo dos Reis Dias, localizada em Nossa Senhora do Livramento (a 42 km de Cuiabá). Ela tem categoria de risco considerada média e dano potencial associado também considerado médio.

De acordo com a Agência Brasil, há 84 barragens consideradas “a montante” em funcionamento no Brasil. Destas, 43 são classificadas de “alto dano potencial”. Em todo o Brasil, no total, há 218 barragens classificadas como de “alto dano potencial associado”.

Os responsáveis pelas barragens terão até 15 de agosto para concluir a elaboração de projeto para melhorar a estrutura do local. Entre outras medidas, deverá minimizar a descarga de água de outra origem no reservatório. Até o dia 15 de agosto de 2021, conforme a resolução, todas as barragens “a montante” deverão ser extintas.

“A jusante”

A resolução também determina que as barragens consideradas “a jusante”, nas quais os diques são construídos com material de empréstimo ou com o próprio rejeito, deverão passar por melhorias para que a construção seja reforçada, para evitar possíveis danos ambientais ou à população.

Os reforços das barragens “a jusante”, conforme a resolução, deverão ser concluídos até 15 de fevereiro do próximo ano.

Em Mato Grosso, diversas barragens são do tipo “a jusante”, entre elas a BR Bosco e BR Santa Felicidade, em Nossa Senhora do Livramento, pertencentes a Filadelfo dos Reis Dias, e a BR Ismael, pertencente a Ismael Ledovino de Arruda, em Poconé. (Do RD News)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. AceitoLeia Mais

Politica de Privacidade & Cookies
Open chat