Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio 93FM Ao Vivo

Ouça a Rádio 93FM

Ouça a Rádio 93FM

Vídeo mostra “Chá DNA” que mãe fez para comprovar a paternidade da filha; assista

0 90

Inspirada no ‘Chá Revelação’ e motivada pela desconfiança do ex-namorado, uma mãe decidiu fazer um ‘Chá do DNA’ para comprovar a paternidade da filha, Helena, de 1 ano e 7 meses, em Rondonópolis, na terça-feira (23).

Rafaela Silva Lima, de 24 anos, contou que a ideia de fazer o ‘Chá’ surgiu de uma amiga dela que acompanhou a gravidez. O resultado do exame saiu no dia 18 deste mês. “Já tinha certeza que ele era o pai, mas ele ficava implicando. Queria fazer um churrasco para comemorar com minhas amigas, foi então que uma delas deu a ideia do chá e eu topei”, disse.

A idealizadora do ‘evento’, Jhenifer Lisboa, foi a única a ver o resultado antes da revelação. “Todos já defendiam a paternidade, mas resolvemos fazer uma comemoração”, ressaltou.

Rafaela publicou um vídeo no perfil dela nas redes sociais do momento em que a paternidade foi revelada. Até agora, a publicação tem mais de 30 mil compartilhamentos.

Assista:

A ‘festa’ teve direito a uma mesa decorada com doces, fotos e balões. O vídeo mostra o momento em que o bastão de fumaça é aceso e indica uma cor verde, confirmando o resultado da paternidade. “Não tinha intenção de repercutir. Quase não publico nada, mas resolvi fazer essa brincadeira para chegar até ele”, explicou.

O pai da menina, que é estudante de engenharia agrícola, não estava presente no chá e, segundo Rafaela, ele ficou sabendo após o irmão dele o marcar na publicação. “Ele não se manifestou. Achei que ele pediria desculpas pelas vezes que desconfiou de mim, mas isso não aconteceu”, disse.

Em nota o pai da criança informou, por meio da advogada, que não autorizou e nem tinha conhecimento da realização do chá de revelação do exame de DNA. Além disso, ele afirmou que está triste com a atitude da ex, por expor a vida da filha. “Sempre foi um bom pai e sempre honrou com o seu compromisso afetivo e alimentício da criança, inclusive desde a gestação da mãe”, diz em trecho da nota.

Gravidez e desconfiança
Rafaela é estudante de letras da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat), campus Rondonópolis, e se mudou de Goiás para a cidade após ser aprovada no vestibular.

Sem ter família na cidade e com dificuldades para encontrar emprego, ela procurou alguém para dividir o aluguel, foi quando conheceu o pai da criança.

“Como éramos solteiros, começamos a nos relacionar e um mês depois fiquei grávida. Ele ficou empolgado no início, mas depois o clima foi ficando estranho na casa e começamos a nos desentender”, contou.

Após as brigas, a estudante se mudou da casa e foi morar na casa de uma amiga. Foi então que as desconfianças do ex começaram. “Ele começou a falar que a bebê não era dele e que faria o teste de DNA quando ela nascesse. Logo depois, ele passou a ajudar e acompanhar a gestação, mas depois voltou a desconfiar. Quando a bebê nasceu, falei para ele não registrar, mas ele insistiu e registrou”, explicou. (Do G1 Mato Grosso)

Resultado do DNA — Foto: Arquivo pessoal
Resultado do DNA — Foto: Arquivo pessoal

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Politica de Privacidade & Cookies