Ouça a Rádio PRIME FM Ao Vivo

Assista a Prime FMOuça a Prime FM

Ouça a Rádio 93FM



Assista a Rádio 93FM

EDUCAÇÃO: Projeto Sinopóleo é ampliado para escolas estaduais

Nas redes municipais, a arrecadação já ultrapassou mais de 110 litros. Agora, o projeto avança abrangendo as unidades de educação a nível estadual. Acompanhe mais informação!!!

A unidade escolar Jorge Amado foi a primeira escola estadual a receber o projeto Sinopóleo, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável em conjunto com a iniciativa privada. O projeto lançado, oficialmente, no final do mês de março, nas escolas da rede municipal de ensino de Sinop.

A secretaria informa que o avanço, abrangendo também as unidades estaduais é em decorrência da importância da ação de reciclagem e a possibilidade de alcançar uma camada maior da sociedade. “O objetivo do projeto é reduzir o impacto ao meio ambiente com o despejo irregular desse material. Ele contamina o solo e nosso lençol freático e, consequentemente, nossos rios são prejudicados. Por isso estamos levando essa ação para as escolas estaduais com intuito de alcançar mais famílias e aumentar a redução da agressão à natureza”.

O Sinopóleo  já realizou duas coletas que somam 117 litros de óleo usado. A primeira foi na Escola Municipal de Educação Básica (Emeb) Vereador Rodolfo Valter Kunze. Na oportunidade, 41 litros de óleo foram doados ao projeto. A segunda coleta foi na Escola Tiradentes. Nessa unidade foram recolhidos 76 litros.

O material que seria despejado no meio ambiente e causaria contaminação do solo e lençol freático, agora se tornará biocombustível, explica o proprietário da empresa responsável pela execução do projeto, Igor Arantes. “Firmamos uma parceria com a Inpaza que receberá todo o material recolhido pelo projeto e o transformará em biocombustível. O óleo passa pela decantação e posteriormente é transformado em combustível ecologicamente correto, que é 65% menos CO2 em nosso ar e isento de enxofre”, disse.

As escolas do município onde são pontos de coleta do óleo de cozinha usado, estão identificadas com um cartaz com a explicação do projeto. Toda a população, tendo ou não o filho matriculado na unidade, poderá destinar o óleo usado para a reciclagem. Todo recurso conquistado com a venda do material, será usado pela comunidade escolar para aplicação em benefício da própria unidade e em especial, aos alunos, com a aquisição de materiais pedagógicos e pequenas manutenções.

(Com Assessoria)

Leia também –

Acompanhe mais informações no Jornal Integração

 

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. AceitoLeia Mais

Politica de Privacidade & Cookies