Ouça a Rádio PRIME FM Ao Vivo

Assista a Prime FMOuça a Prime FM

Ouça a Rádio 93FM



Assista a Rádio 93FM

AGOSTO LILÁS: Confira os trabalhos da Assistência Social no combate a violência contra a mulher

A secretária de Assistência Social de Scheila Pedroso, esteve ao vivo no Jornal Integração, e comentou sobre os serviços da pasta. Acesse e confira a Campanha!!!

A campanha Agosto Lilás, tem com o objetivo de discutir temas relacionados ao enfrentamento da violência contra as mulheres em suas diversas formas. Assistências sociais bem como outras secretárias sempre se organizam, para desempenhar um projeto maior neste mês visando a causa.

As atividades coincidem com o aniversário da Lei Maria da Penha (Lei 11.340/06), considerada legislação de referência em todo o mundo no combate a esse tipo de violência. Com o intuito de informa sociedade, a rádio Hits Prime em parceria com o Portal 93, abraçam a campanha Agosto Lilás com uma série de entrevistas e reportagens.

Damos início a esta campanha, recebendo nesta terça-feira (02), a Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Habitação Scheila Pedroso da Silva, que comentou sobre os trabalhos que são realizados na pasta.

No primeiro semestre de 2022 em Mato grosso, mais de 20 feminicídios foram registrados. Apesar da redução de 05% comparado ao ano de 2021, os dados são preocupantes.

A secretária de assistência social ressalta que essa é uma realidade nacional, e que infelizmente Mato Grosso é um dos Estados com maior índice de violência contra mulher e violência doméstica do país, Sinop também não é diferente.

“Nós temos números alarmantes da violência contra a mulher, estamos trabalhando diariamente para combater esse mal que está assolando a nossa sociedade, nós temos dentro da rede municipal sendo o CREAS, que é o principal setor que trata das violações de direitos de modo geral em nossa sociedade, principalmente violência contra a mulher.”

Scheila também disse em entrevista sobre a assistência social, que com a criação da Delegacia da Mulher sendo um local especifico, as denúncias aumentaram sendo analisado pela assistência social, devido à procura da mulher, em um local em que ela é mais acolhida e se sente segura.

O termo “Violência contra a mulher”, resume diversos tipos de violência, que não se limita apenas no ato físico, mas a atos lesivos que resultam danos psicológicos, emocionais, financeiros entre outros.

“A mulher fica refém de um relacionamento abusivo e muitas das vezes, porque ela não acha que está refém de um relacionamento abusivo, ela acha que merece, pensa que fez algo errado, ou se sente culpada então ela tem esse relacionamento, que é de uma forma emocional presa a essa pessoa”

A Secretária de Assistência Social, também comentou em entrevista sobre a união de outras pastas, atuantes em denúncia, onde podem estar percebendo, que uma mulher é vítima de agressão, como postos de saúde, e até mesmo as crianças em escolas.

“Não é um trabalho fácil, hoje em nossas unidades nós trabalhamos através do CRAS que é um setor de prevenção, temos oficinas com mulheres, com curso de corte e costura, produção doces e salgados, onde ela vai para participar e a gente começa a identificar fatores que indicam, que está sofrendo violência doméstica ou abuso. A gente tem que realmente identificar, uma visita feita pela agente de saúde, que está dentro da nossa rede. A saúde tem um papel fundamental, às vezes a agente saúde percebe algo que está acontecendo dentro das casas, ou uma mulher que chega no posto de saúde na UPA, dizendo que tropeçou no tapete, entre outras situações” 

Scheila descreveu os trabalhos do CREAS onde atua diretamente, na violação dos direitos relacionado a mulheres entre outras vítimas, onde fazem o encaminhamento responsável para acolhimento de vítimas com violência.

“CREAS trabalha especificamente nas violações de direitos tanto com idoso, criança, e também com a mulher. Nós trabalhamos com direcionamento para a rede de tratamento, que é fundamental em nosso município trabalharmos em rede. Hoje o município não possui uma casa de acolhimento, mas nós temos um local seguro para essa mulher, onde ela fica ali no período necessário ou se por acaso um familiar dela é de outro município, ou de outro estado, fazemos o encaminhamento.”

“Nós damos a estrutura para que ela tenha um recomeço de vida e um local para ela ficar, escola para as crianças, encaminhamento para delegacia da mulher fazendo todo aquele suporte para ela, inclusive com uma advogada agora dentro do CREAS para dar esse suporte jurídico.”

A Secretária informou que a Assistência Social, estará fazendo ações durante o mês em diversos pontos da cidade, onde foi relatado em entrevista completa no Jornal Integração da Hits Prime FM.

Confira a entrevista com Scheila Pedroso – Secretária de Assistência Social

Leia também –

Acompanhe outras notícias no Jornal Integração

Os comentários estão fechados, mas trackbacks E pingbacks estão abertos.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. AceitoLeia Mais

Politica de Privacidade & Cookies