Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio 93FM Ao Vivo

Assista a Rádio 93FM Ouça a Rádio 93FM

Ouça a Rádio 93FM



Assista a Rádio 93FM

Com cinco dias no cargo, Decotelli pede demissão do MEC

O Ministro da Educação não chegou a ser empossado e enviou uma carta de demissão ao presidente Jair Bolsonaro, que aceitou a carta.

0 5

Cinco dias após ser anunciado como o novo Ministro da Educação do Brasil, Carlos Alberto Decotelli preparou uma carta de demissão ao presidente da República, Jair Bolsonaro. O economista, que também é professor, teve algumas complicações diante de seu currículo, apresentado ao presidente.

Decotelli havia dito, em seu currículo, que teria concluído etapas de doutorado, sendo que ao mesmo tempo, instituições diziam ao contrário. Por ter seu nome indicado por militares, que também ocupam cargos no Planalto, houve um constrangimento após as contradições, gerando desconforto em ambas as partes.

O economista e professor Carlos Alberto Decotelli da Silva foi anunciado como o novo chefe do Ministério da Educação, na última quinta-feira (25), pelo próprio presidente Jair Bolsonaro. Apesar de não ser empossado como Ministro, Decotelli já constava em edição extra do Diário Oficial da União.

Com cinco dias no cargo, Decotelli pede demissão do MEC
A carta de demissão foi entregue no Palácio do Planalto. Foto: Marcos Corrêa / PR)

Não há, até o momento, uma informação sobre possíveis nomes que seriam anunciados pelo Governo, para preencher o cargo. Algumas pessoas já comentam em redes sociais, que nomes já cotados anteriormente, poderiam ser indicados, bem como novos nomes.

A nomeação ao cargo, surgiu após a saída de Abraham Weintraub, que foi saiu em meio à polêmicas, geradas através da divulgação de uma reunião ministerial. Em uma postagem nas redes sociais, Bolsonaro publicou uma foto ao lado de Decotelli e destacou a formação acadêmica do novo ministro.

“Decotelli é bacharel em Ciências Econômicas pela UERJ, mestre pela FGV, doutor pela Universidade de Rosário, Argentina, e pós-doutor pela Universidade de Wuppertal, na Alemanha”, escreveu o presidente.

O então ministro ocupava, até recentemente, o cargo de presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), autarquia vinculada ao Ministério da Educação, responsável por executar parte das ações da pasta relacionadas à educação básica em apoio aos municípios, como alimentação e transporte escolar.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Politica de Privacidade & Cookies