Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio 93FM Ao Vivo

Ouça a Rádio 93FM

Ouça a Rádio 93FM

Polícia confirma 3ª morte provocada por síndrome em Minas Gerais

A doença tem sido vinculada ao consumo da cerveja artesanal Belorizontina, da fabricante Backer.

0 13

A Polícia Civil confirmou, na manhã desta quinta-feira (16), a terceira morte provocada pela síndrome nefro neural em Belo Horizonte. A doença tem sido vinculada ao consumo da cerveja artesanal Belorizontina, da fabricante Backer.

A vítima é um homem de 89 anos, que não teve a identidade divulgada até a última atualização desta reportagem. O paciente morreu no Hospital Mater Dei, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, por volta das 2h50. O corpo deve passar por exames e perícia no Instituto Médico-Legal (IML).

Nesta quarta-feira (15), a segunda morte pela síndrome havia sido confirmada. Trata-se de Antônio Márcio Quintão de Freitas. O corpo dele deve ser enterrado às 11h desta quinta-feira. Permanece sob investigação a morte de uma mulher em Pompéu, Região Centro-Oeste do estado.

Ao todo, foram feitas 18 notificações de pessoas doentes, incluindo o paciente morto nesta madrugada. A primeira vítima da síndrome a morrer foi Paschoal Dermatini Filho, de 55 anos. Ele estava internado em Juiz de Fora e morreu em 7 de janeiro.

 

Força-tarefa apura relação com cerveja

Polícia confirma 3ª morte provocada por síndrome em Minas Gerais
Cerveja Belorizontina, da fabricante Backer. (Foto: Danilo Girundi/TV Globo)

Uma força-tarefa investiga a relação das internações e mortes com o consumo da cerveja Belorizontina. A substância tóxica dietilenoglicol foi encontrada em lotes do produto. Esta é a terceira morte relacionada ao caso confirmada oficialmente pela Polícia Civil.

 

Sintomas

Polícia confirma 3ª morte provocada por síndrome em Minas Gerais
Sintomas da síndrome nefro neural. (Foto: Reprodução / TV Globo)

Entre os sintomas da síndrome nefro neural estão alterações neurológicas e insuficiência renal. De acordo com a presidente da Sociedade Mineira de Nefrologia, Lilian Pires de Freitas do Carmo, os primeiros sinais de intoxicação por dietilenoglicol são dores abdominais, náuseas e vômitos. O tratamento é feito no hospital, com monitoração, e tem o etanol como antídoto.
Lotes contaminados com substância tóxica

Um laudo divulgado pela força-tarefa que apura o caso aponta que os lotes L1 1348, L2 1348 e L2 1354 estão contaminados por dietilenoglicol e mono etilenoglicol. A Backer considera que são dois lotes, sendo L1 1348 e L2 1348 duas linhas diferentes de um mesmo lote.

A substância tóxica foi encontrada em amostras de lotes da Belorizontina, que também usa o rótulo Capixaba, e em um tanque reservatório de liquido anticongelante, usado no processo de fabricação das cervejas da Backer.

Uma perícia contratada pela própria cervejaria confirmou a presença da substância tóxica na cerveja, conforme mostra o vídeo abaixo. Em nota divulgada no início desta tarde, a empresa informou que a “ainda está em andamento” e que “precisa aguardar a conclusão dos laudos para compartilhar os resultados com a sociedade”. (Com G1 Minas)

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Politica de Privacidade & Cookies