Rádio 93FM
Com você onde você for.

Ouça a Rádio 93FM Ao Vivo

Ouça a Rádio 93FM

Ouça a Rádio 93FM

Câmara reprova parecer e projeto da venda do estádio de Sinop é arquivado

Presidente da Câmara de Vereadores de Sinop garante que projeto pode ser votado ainda este ano

1 70

O Projeto de Lei (PL), 053/2019, de autoria do Executivo de Sinop, que previa a venda da área onde atualmente está alocado o Estádio Gigante do Norte, foi arquivado pelo Legislativo, ou seja, Câmara de Vereadores, após o parecer da Comissão de Justiça e Redação (CJR), ser reprovado por 8 votos, contra 6 favoráveis, durante a sessão ordinária desta segunda-feira (7).

Vale ressaltar que o parecer era favorável a tramitação, mas foi vetado pelos oito vereadores, sendo eles: Dilmair Callegaro, Adenilson Rocha, Luciano Chitolina, Leonardo Visera, Joacir Testa, Billy DalBosco, Ícaro Francio Severo e Lindomar Guida.

A vereadora Professora Branca, que é presidente da CJR, argumenta que a reprovação do parecer fez com que a população não soubesse quais eram as verdadeiras opiniões, além de proteger os parlamentares. “Como o jurídico desta casa deu parecer favorável, a comissão também deu parecer pra tramitar o projeto, e pra sociedade conhecer o voto de cada vereador que está aqui, se eram à favor ou não da venda daquele espaço. Então continua a dúvida se seria bom, ou não pra Sinop”.

Os vereadores que votaram à favor do parecer foram: Professora Branca, Maria José, Hedvaldo Costa, Toninho, Joaninha e Mauro Garcia. O presidente Remídio Kuntz não vota, apenas quando há empate. Como o parecer da CJR foi reprovado, o outro parecer da comissão de Finanças e Orçamentos, nem chegou a ser votado.

Kuntz assegura que ainda há a chance do projeto ser apreciado este ano. “Esse projeto fica na geladeira. A prefeita pode mandar um novo. Se ele fosse reprovado só poderia ser votado novamente no ano que vem. Como o projeto não foi reprovado, apenas o parecer, cabe ao Poder Público, através da prefeita, se ela achar viável mudar, fazer emendas e mandar novamente, não tem problema”, aponta.

Entenda
A discussão sobre a venda da área do estádio de Sinop começou em meados de novembro de 2018, quando o Grupo Pão de Açúcar (GPA), o maior no segmento de varejo e distribuição do país, manifestou interesse em adquirir o local para a construção de um supermercado.

Desde então as discussões sobre como seriam as negociações foram calorosas. De lá pra cá, estiveram em pauta os preços propostos, se era viável ou não a venda, questões emocionais, entre outras. Um laudo emitido por um perito definido pelo Ministério Público apontou que o valor de mercado de todo o local chegava a quase R$ 62 milhões.

Tempos depois, após a manifestação de vereadores e da população, houve a discussão apenas para que parte da área fosse vendida, cerca de 33 mil m², e o restante, 62 mil m², fossem utilizados para a construção de uma nova arena olímpica. Entretanto isso não foi aceito. Caso fosse oficializada a venda/permuta, a ideia é que esse novo estádio fosse construído em um outro ponto da cidade, a ser definido pela prefeitura. O lance inicial para o “pedaço” é de R$ 26,7 milhões, que, neste sentido, seria para a viabilização da nova arena, não onerando o Executivo municipal.

Depois de longos debates, a prefeitura recolheu o projeto e o refez, desta vez com a venda parcial, ou seja, os 33 mil m², só que agora para empresas de qualquer segmento, além de que a área remanescente, ou seja, os 62 mil m², fossem repartidos em lotes no intuito de serem vendidos. Nesse tempo duas audiências públicas foram realizadas na Câmara da Vereadores, para debater o assunto.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você esteja bem com isso, mas você pode optar por não participar, se desejar. Aceito Leia Mais

Politica de Privacidade & Cookies